Uma série de fatores provenientes de ações do governo do estado resultaram em atraso para turmas que chegaram a cursar 1500 hs/aulas de um curso que agora só terminará no final de 2011, se não houver novas interrupções com o resultado das eleições deste ano.
Assim que houve a troca de comando no governo estadual a secretaria de educação decidiu fazer a fusão de turmas o que resultou na demissão de alguns professores que tinham acabado de assumir as salas de aula, após terem sido aprovados em teste seletivo. Escolas que já sofriam com a lotação de novos educadores tiveram problemas ainda maiores com a demissão de alguns.
O caso do Centro Educacional de Ensino Profissionalizante CEEP, em Parnaíba, litoral piauiense, é ainda mais grave. Três turmas do curso de informática, pós-médio da instituição ficaram muito atrasadas com a falta de professores. Após terem cursado até três módulos, perderam quase todas as disciplinas já vistas após a matriz curricular a qual estavam submetidos ter perdido a validade. Segundo a diretora da instituição, Conceição Cavalcante, mesmo que tivesse dado tempo dos alunos concluírem o curso, ainda assim não teria validade, pois, houve uma demora por parte do CEEP em aprovar a nova matriz e, “se eles tivessem terminado e nós tivéssemos providenciado os diplomas, ainda sim não resolveria muito, porque, quando chegasse ao protocolo, a própria secretaria nos devolveria todos por não ter mais validade. Aí teríamos que formular uma justificativa, mandar pro conselho, esperar o conselho aprovar e isso resultaria em uma perda muito maior pra eles”, disse.
De acordo com a resolução 056/10 do Conselho Estadual de Educação uma nova matriz foi reconhecida e autorizada e, os alunos que já estavam atrasados, teriam que se submeter a uma nova grade curricular de quatro módulos com a duração de um ano e meio. “Nem todas as disciplinas foram perdidas, algumas serão aproveitadas e a nova matriz deu uma reduzida na carga horária”, acrescentou a diretora.
Conceição Cavalcante disse ainda que visitou as salas do referido curso acompanhada do coordenador negociando com os alunos a apresentando a eles as duas alternativas e, segundo ela, os estudantes optaram por cursar a nova matriz. “espero que com essa mudança, não haja mais atrasos após o resultado dessas eleições, isso realmente é o que não gostaríamos de ver”, concluiu a diretora.

Confira vídeo com entrevista exclusiva da diretora do CEEP, Conceição Cavalcante ao jornalismo do proparnaiba.com